CSP e comunidades vizinhas promovem conversas sobre saúde emocional por meio do Programa de Parcerias – CSP

Notícias

CSP e comunidades vizinhas promovem conversas sobre saúde emocional por meio do Programa de Parcerias

O projeto Jogando e Aprendendo traz debates sobre cidadania, igualdade de gênero e violência doméstica. Dia 7/10 será a vez do Pecém, por meio do projeto Arte em Movimento, dedicado a mulheres e idosos

As comunidades de Acende Candeia e Pecém (ambas em São Gonçalo do Amarante) estão recebendo rodas de conversa sobre saúde emocional, no contexto do Setembro Amarelo. No último dia 23 de setembro, Acende Candeia recebeu novamente representes da siderúrgica para conversar sobre a importância de cuidar da saúde mental. O evento contou com a presença de 47 pessoas da comunidade, entre crianças, adolescentes, jovens e idosos.

Os participantes eram do projeto Jogando e Aprendendo, realizado pela Associação de Moradores do Acende Candeia de Baixo (AMACB) e financiado pelo Programa de Parcerias CSP, que conta com patrocínio das empresas CBMM e POSCO/POSCAN. O Jogando e Aprendendo proporciona debates, vivências e visões sobre cidadania, igualdade de gênero e combate à violência doméstica por meio do esporte. Para isso, são realizadas oficinas, palestras, rodas de conversa e eles montaram times de futebol mistos compostos por todos os gêneros.

Falar sobre saúde mental é um tema muito importante não somente dentro das empresas, mas também para a comunidade. “O quanto antes iniciarmos esse assunto para nossas crianças e adolescentes melhor. Falar sobre prevenção de suicídio é falar sobre saúde mental e na roda de conversa nós abordamos isso, os riscos, como identificar os sintomas, os sinais e como prevenir”, destacou Regiane Freire, psicóloga da área de Saúde e Qualidade de Vida da CSP.

“Eu moro na comunidade Acende Candeia há um ano e amo participar desse projeto. As atividades são maravilhosas. Ele consegue impactar positivamente os moradores daqui e isso é muito bom”, afirmou Aline Araújo, beneficiária do projeto Jogando e Aprendendo.

Incentivo a projetos locais

O Programa de Parcerias da CSP é constituído por empresas parceiras, apoiadoras e fornecedores da CSP para promover ações de responsabilidade social, para o desenvolvimento sustentável da região, com o apoio financeiro e suporte na realização de projetos desenvolvidos pelas próprias comunidades.

Serviço online de psicologia aos empregados

Estendemos às comunidades um tema que já tratávamos internamente na empresa. Desde 2020, por exemplo, a CSP disponibilizada aos seus 2.500 empregados o serviço online de atendimento psicológico, por meio da plataforma online Psicologia Viva. O empregado acessa, escolhe um profissional para a sessão de psicoterapia e agendar a consulta remota conforme a preferência de dia e horário. A Regiane auxilia os empregados da empresa no acesso a essa ferramenta online, acolhendo cada demanda e orientando os interessados sobre os próximos passos.

A ação tem foco na prevenção e incentiva a adesão ao acompanhamento psicológico contínuo para o alcance do bem-estar, apesar das dificuldades cotidianas agravadas pela pandemia. “É preciso que cada um faça uma autoanálise sob diversos aspectos pessoais, familiares e também no trabalho. Essa análise pode mostrar a necessidade de se antecipar e buscar ajuda preventivamente. Quando a pessoa já está com o quadro agravado, o tratamento é mais prolongado e possui algumas dificuldades a mais”, detalha a psicóloga.

Alguns dados sobre suicídio no Brasil

  • De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), no Brasil, os casos passam de 13 mil por ano, podendo ser bem maiores em decorrência das subnotificações.
  • Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que a cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio no mundo.
  • Já ao que se refere às tentativas, uma pessoa atenta contra a própria vida a cada três segundos.
  • Em termos de numéricos, calcula-se que aproximadamente um milhão de casos de óbitos por suicídio são registrados por ano em todo o mundo.
  • Estudos apontam que em mais de 98% dos casos, o suicídio foi causado por transtornos mentais não tratados corretamente ou não identificados/acompanhados.
  • Cerca de 96,8% estão relacionados  aos transtornos mentais como depressão, transtorno bipolar e o uso de substâncias. Esse cenário preocupante serve de alerta para que a saúde mental seja um tema importante para a saúde pública.

SAIBA MAIS