Como ainda não há tratamento, a informação é a arma mais potente contra este problema de saúde pública. Por isso, reunimos nesta página alguns dados importantes que compartilhamos com nossos empregados sobre a prevenção ao contágio do novo coronavírus.

Clique aqui para conferir o monitoramento de casos, ações de prevenção ao coronavírus na CSP

SINTOMAS
A doença causada pelo novo coronavírus recebeu o nome de COVID-19. Ela causa sintomas respiratórios, como febre, tosse e falta de ar; e pode gerar sintomas leves, como um resfriado comum, até quadros mais graves, como pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

Classificação dos sintomas do COVID19, resfriado e gripe

TRANSMISSÃO

O Coronavírus pode ser transmitido de pessoa para pessoa, por meio de secreções respiratórias do paciente infectado ou por contato com secreções contaminadas, seguido de inoculação em mucosas (olhos, nariz ou boca). Na maior parte dos casos, a transmissão é limitada e se dá por contato próximo.

 

COMO TRATAR?

O diagnóstico é realizado com exame específico, colhendo secreção do nariz e da boca do paciente, e pode identificar o material genético do vírus. Atualmente, não há medicamentos eficazes para tratar o novo coronavírus. Recomenda-se a ingestão de líquidos, analgésicos e antitérmicos.

O melhor remédio é a prevenção! Fique atento às orientações:

  • Lave as mãos com frequência, com água e sabão, ou higienize com álcool em gel 70%;
  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos;
  • Evite se aproximar de pessoas doentes, é importante praticar o isolamento social;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar imediatamente no lixo;
  • Evite aglomerações e mantenha os ambientes ventilados, evite cumprimentos com aperto de mão, beijos e abraços.

 

Confira no vídeo ações simples de prevenção ao novo coronavírus:

Fique atento às fake news. Se houver dúvidas, não compartilhe. O site do Ministério da Saúde é atualizado diariamente com informações confiáveis sobre o tema.

 

Reunimos as principais perguntas e respostas sobre tema:

1. O que é o coronavírus?

Coronavírus é o nome de uma grande família de vírus que tem uma estrutura em formato de coroa, conhecida desde 1960. Eles causam infecções respiratórias e já provocaram outras doenças, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers).

A doença causada pelo novo coronavírus recebeu o nome de Covid-19. Ela foi descoberta no final de dezembro de 2019, na China. A primeira morte foi registrada em 9 de janeiro.

 

2.Como é a transmissão?

Por meio de três formas:

  • Por vias respiratórias, pelo ar e por gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados;
  • Por contato físico, quando essas gotículas com o vírus alcançam mucosas do olho, nariz e boca por meio de beijos e abraços;
  • Por meio do contato de superfícies contaminadas, quando essas gotículas com o vírus ficam depositadas em locais como um corrimão ou uma maçaneta, e depois entram em contato com mucosas do olho, nariz e boca.

 

3.Quais são os sintomas da doença causada por coronavírus?

Tosse seca, febre e cansaço são os principais sintomas, mas alguns pacientes podem sentir dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta ou diarreia.

Nos casos mais graves, que geralmente ocorrem em pessoas que já apresentam outras doenças associadas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal.

 

4.Como prevenir o coronavírus?

Conheça os sintomas e as formas de se prevenir contra o novo coronavírus:

  • Higienizar as mãos e superfícies, como móveis e corrimão, são as principais formas de se prevenir contra o novo coronavírus. Mesmo com as mãos limpas, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Além disso, é preciso limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • O uso de máscaras é mais recomendado para quem estiver em contato com alguém com sintoma gripal ou para quem for viajar para áreas de risco de contaminação. Vale lembrar que as máscaras descartáveis devem ser trocadas a cada duas horas;
  • O Ministério da Saúde alerta também para que não seja feito o compartilhamento de itens pessoais, como talheres e toalhas. Também é recomendável manter a uma distância mínima de um metro de pessoas que estejam espirrando ou tossindo.

 

5.Por que lavar as mãos previne contra o coronavírus? É possível se contaminar com aperto de mãos ou abraços?

Para infectar uma pessoa, o vírus precisa sair de um doente e entrar no organismo de outra pessoa. Ao tossir, falar ou espirrar, por exemplo, o vírus se espalha por meio das gotículas – não há indício de transmissão pelo ar sem ter relação com estas gotículas.

Estudos avaliados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que o vírus pode persistir nas superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Isto pode variar e depende das condições do local, do clima e da umidade do ambiente.

Usando as gotículas como “transporte”, os vírus podem ficar em superfícies como maçanetas, apoios de transporte público, botões de elevadores, teclas de computador, celulares, entre outros.

Por isso, lavar as mãos retira o vírus da superfície do corpo e evita que, ao se coçar, por exemplo, ele entre em mucosas – como olhos, boca e nariz –, o que causa a infecção.

A proximidade do doente com a pessoa saudável pode permitir que essa “viagem” do vírus fique mais curta. Por isso, segundo os infectologistas, é hora de rever alguns hábitos sociais, como cumprimentar com beijos no rosto ou com um aperto de mãos.

 

6.Como lavar as mãos corretamente?

As mãos devem ser lavadas com água e sabão, ou higienizadas com álcool. A recomendação é que a higiene seja completa, inclua a parte inferior da ponta das unhas e alcance também a região do pulso. Veja o passo a passo:

7 . Vamos usar máscara?

O uso de máscara é a primeira medida que as pessoas querem adotar nas suas rotinas. Mas, na verdade, essa é uma medida necessária apenas quando há a existência de pessoa com suspeita de coronavírus no ambiente (para cuidadores e setores de saúde, principalmente). A CSP se preveniu quanto a este item, mas os protocolos de saúde já indicam que a medida mais eficaz é a higiene individual e do ambiente. Por isso, redobre seus cuidados: limpe diariamente sua mesa de trabalho com álcool e lave as mãos com frequência.

 

8. Como é feito o tratamento?

Não existe tratamento específico contra a Covid-19. Os pacientes infectados recebem uma medicação para aliviar os sintomas. Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento indicado é repouso e consumo de bastante água. As medidas adotadas para aliviar os sintomas são:

  • Medicamentos para dor e febre (antitérmicos e analgésicos);
  • Umidificador no quarto ou banho quente para aliviar a dor de garanta e tosse.

 

9. Há vacina contra o coronavírus?

Ainda não, mas vários países, como Rússia, China e Estados Unidos, já pesquisam uma vacina contra coronavírus. A expectativa da comunidade científica é que os primeiros testes comecem nos próximos dois meses. Segundo especialistas, a nova vacina pode ficar pronta dentro de 12 a 18 meses. Enquanto isso, um medicamento para atenuar os sintomas deve ser desenvolvido em menos tempo.

 

10. Estou com suspeita de infecção por coronavírus. Como devo proceder?

Em 80% dos casos, os sintomas de coronavírus são leves, semelhantes a uma gripe. Nestes casos, o essencial, segundo a Organização Mundial da Saúde, é evitar sair de casa. O Ministério da Saúde recomenda ficar em repouso e tomar bastante água.

Se precisar sair, deve-se evitar circular em lugares fechados, com muitas pessoas e com pouca ventilação. É preciso entender que ir ao trabalho ou à escola com sintomas de gripe implica expor potencialmente outras pessoas à doença. Além disso:

  • Ao espirrar, deve-se colocar o antebraço ou um lenço na frente do nariz e boca;
  • Utilize lenço descartável para higiene nasal;
  • Não compartilhe talheres, copos, toalhas e demais objetos pessoais;
  • Mantenha uma distância mínima de um metro de qualquer pessoa.

 

11. O coronavírus tem cura?

Segundo a OMS, ainda não há cura e não há um tratamento medicamentoso definido.

 

12. Crianças ou adultos: quem corre mais risco ao ser infectado por coronavírus?

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, os grupos de maior risco são crianças menores de 2 anos, gestantes, adultos com 60 anos ou mais.

 

13. O clima no Brasil pode ajudar a combater o novo coronavírus?

O clima e a temperatura podem não ter um papel tão fundamental assim na disseminação de uma doença.

 

14. Qual é o tempo de incubação do novo coronavírus?

O “período de incubação” significa o tempo entre a captura do vírus pelo ser humano e o início dos sintomas da doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a maioria das estimativas do período de incubação do Covid-19 varia de 1 a 14 dias, geralmente em torno de 5 dias.

 

15. Quanto tempo o novo coronavírus sobrevive em uma superfície ou no ar?

Ainda não é possível afirmar quanto tempo o novo coronavírus sobrevive na superfície ou no ar, segundo a OMS. Estudos avaliados pela OMS apontam que o vírus pode persistir nas superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Isto pode variar e depende das condições do local, do clima e da umidade do ambiente.

 

16. Qual é orientação para quem tem viagens marcadas para a China ou outros países com registro de coronavírus?

Não há restrição oficial para viagens a países com registro de Covid-19, de acordo com o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Caso não seja possível evitar a viagem, tome ainda mais cuidado com a higiene das mãos, evite aglomerações e siga as recomendações gerias de proteção.

 

17. Grávidas correm mais riscos?

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, explica que as mulheres grávidas passam por alterações imunológicas e fisiológicas que podem torná-las mais suscetíveis a infecções respiratórias virais, com a do Covid-19.

O Instituto afirma que as mulheres grávidas têm mais risco de doença grave, morbidade ou mortalidade em comparação ao restante da população, “como observado em casos de outras infecções relacionadas ao coronavírus – incluindo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (Sars-CoV) e coronavírus da síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers- CoV) – e outras infecções respiratórias virais, como influenza, durante a gravidez”.

 

18. Gestantes podem transmitir o coronavírus para o feto? E durante o parto?

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), afirma que não há informações suficientes sobre a possibilidade desta transmissão, e que não há caso de bebês infectados com o novo coronavírus.

O CDC afirma que o vírus não foi detectado em nenhuma amostra de líquido amniótico nem de leite materno, o que pode ser uma boa notícia sobre a questão da transmissão do vírus entre mãe e recém-nascido.

 

19. Que cuidados deve tomar quem usa transporte público, como ônibus, trens e metrô?

Especialistas afirmam que é importante manter os ambientes arejados. Recomendam que ao se apoiar nas barras de apoio, as pessoas devem tomar cuidado e fazer a higienização das mãos, pois ali pode conter gotículas de tosse ou espirro. As pessoas devem evitar tocar olhos, boca e nariz e, também, usar o transporte em horário de pico.

 

20. Coronavírus: qual o tipo de álcool recomendado para higienizar as mãos?

Manter as mãos limpas é uma das principais estratégias de prevenção contra o coronavírus. Além da limpeza com água e sabão, outra opção é o uso do álcool gel. A recomendação dos médicos é para que ele seja usado somente na concentração de 70%, ideal para alcançar ação contra bactérias, fungos e vírus.

 

21. Quem precisa ficar em isolamento domiciliar?

Segundo o Ministério da Saúde, os casos suspeitos leves podem não necessitar de hospitalização e devem ser acompanhados pela atenção primária com medidas de precaução domiciliar.

O isolamento domiciliar é indicado para casos suspeitos ou confirmados que não forem classificados como graves; para pacientes com sintomas que estiveram na China, Coreia do Sul, Irã ou Itália; e para pacientes sem sintomas, mas que tiveram ou mantém contato com alguém que tenha o diagnostico confirmado.

 

22. O que é transmissão local, comunitária ou sustentada do coronavírus?

Dezenas de países já registraram casos de coronavírus, em cinco continentes, exceto na Antártica. Entretanto, ter casos de coronavírus não quer dizer que toda a população será infectada, ou que todos os infectados terão casos graves da doença.

Para entender a agressividade do vírus em cada nação, é preciso olhar o status de transmissão do Sars-CoV-2, o novo coronavírus que causa a Covid-19, que varia de país para país.

Transmissão local: São casos de pessoas que se infectaram com Covid-19, não estiveram em nenhum país com registro da doença, mas tiveram contato com outro paciente infectado, que trouxe o vírus de fora do país. Há casos assim no Brasil.

Transmissão sustentada ou comunitária: São casos de transmissão do vírus entre a população – um paciente infectado que não esteve nos países com registro da doença transmite a doença para outra pessoa, que também não viajou.

 

23. Como se prevenir contra o coronavírus na academia?

Em tempos de coronavírus, é importante tomar algumas precauções na hora de treinar em lugares fechados e evitar pegar a doença Covid-19 – ou passar para os colegas de academia sem saber.

  • Não vá para a academia se estiver com os sintomas;
  • Limpe os equipamentos e os colchonetes com álcool 70%;
  • Evite colocar a mão nos olhos, na boca e no nariz;
  • Evite os horários de mais aglomeração;
  • As academias podem propor exercícios com menos contato entre alunos.

 

24. O que é pandemia?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia para o Covid-19, na quarta-feira, 11 de março. Segundo a OMS, uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. É um termo usado com mais frequência em referência à gripe e, geralmente, indica que uma epidemia se espalhou para dois ou mais continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

A questão da gravidade da doença não entra na definição estrita da OMS de uma pandemia — apenas a disseminação –, embora a organização possa levar em consideração o ônus geral da doença para a população antes de declarar uma pandemia.

 

25. Qual a diferença entre pandemia, epidemia e infecção endêmica?

Pandemia: é a disseminação mundial de uma nova doença. É um termo usado com mais frequência em referência à gripe e geralmente indica que uma epidemia se espalhou para dois ou mais continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

Epidemia: é “um aumento nos casos, seguido por um pico e depois uma diminuição”. É o que acontece nos países onde as epidemias de gripe são registradas todos os anos: no outono e no inverno os casos aumentam, o máximo de infecções é atingido e depois diminui.

Infecção endêmica: quando a doença está presente em uma área permanentemente, o tempo todo, durante anos e anos.

Caso tenha alguma outra dúvida, entre em contato pelos telefones abaixo: